Cinema

OI !

OLHA EU AI DE NOVO !

no dia 27/08/1012, fomos ao cinema na companhia de nossas ilustres professoras e coordenadoras, para vermos o filme ”A Era do Gelo 4”.

Foi muito bom, todo mundo riu, se divertiu, nos distraímos um pouco, saímos dessa vida monotona de sala de aula, foi muito dinâmico, um filme engraçado que arrancou muitas gargalhadas principalmente da professora Drika que não parava de rir um minuto e também contamos com pequenas presenças, os filhos da coordenadora Denise.

ATÉ A PROXÍMA  GALERINHA !!!!

 

Anúncios

Arraiá do Ávila Júnior!

OI !

galera voltei !

No dia 1o de agosto aconteceu uma festa junina aqui na escola e como sempre não podia faltar muita diversão e muita música, e na programação da festa teve o show de talentos,contando com o talento da galerinha mais divertida e animada.

Tiveram várias apresentações como, a dança do ”assim você mata o papai”, paródia das empreguetes, show das” Chayanetes” com a música Brabuleta , muito axé com as meninas do bolim bolache, recitação de poesia e Rap  ”Nego Blue”.

O arraiá da escola foi um máximo, a galera se divertiu com todas as atrações.Uma das atrações que mais chamou atenção foi o touro mecânico,que deixou muita galera no chão.

Até a próxima !

AHHH Não deixem de participar da minha enquete!

Pesquisa Musical !

Funk

Ao realizar uma pesquisa na hora do recreio com os amigos, sobre o estilo de música que eles gostavam de escutar nos intervalos ou quando não faziam nada, obtive o seguinte resultado: O FUNK

Mas não é o funk que faz apologia ao sexo a drogas, armas ou a tudo de ruim que o mundo oferece, mas o funk com respeito a todos os ouvidos, que retrata o cotidiano da favela, ou até mesmo história de amor e incentivo.

Hoje os mc’s mais falados que cantam esse tipo de funk são os mc’s Martinho, Bôdo Catarina, mc Maiquinho entre outros.

O mc Martinho tem uma música que retrata um fato do cotidiano dos moradores das favelas.

O nome da música é “Caminho das rosas” fala sobre um jovem que vende drogas e num corre, acaba fazendo uma refém, e os negociadores numa estratégia bem bolada entregam um telefone a ele dizendo que é sua filha, distraído ele leva um tiro e no chão agonizando se arrepende de tudo o que fez, mas já era tarde demais porque ele já havia encontrado o caminho das rosas.

Então meus caros colegas e leitores, para um funk ser bom não precisa fazer apologias a nada, funk bom é funk consciente.

Um abraço e até a próxima!!!

Por Clébia Silvério

A Música em Nossas Veias

A música é conhecida pelo seu grande poder de modificar as pessoas de acordo com seu estilo musical, o que pode trazer de uma grande alegria, até uma enorme convergência, pois nosso país é conhecido por sua grande diversidade de estilos musicais.

Um exemplo de como a música é uma forma magnífica de expressarmos nossos sentimentos é bem clara no filme ‘O som do coração’, que conta a história de uma criança superdotada que foi resultado de um romance curto entre dois músicos, um guitarrista e uma violoncelista.

Depois de um tempo, o garoto (Evan) nasce, mas o avô mente para sua filha dizendo que o bebê nasceu morto, o que não foi bem aceito por ela. Na verdade, o filho dela tinha sido mandado para um orfanato, onde cresceu. Cansado de não ter respostas para suas perguntas sobre sua verdadeira família, o garoto resolve sair atrás de respostas.

Ao sair do orfanato, ele encontra crianças que se sustentam através da música em shows de rua, onde ele tem o primeiro contato com um violão, o que mudou completamente sua vida. Ele demonstrou uma enorme facilidade em manusear aquele instrumento, com o qual ele nunca havia tido contato antes. Simplesmente, a clara percepção da música corria em suas veias, e que foi liberta de forma assombrosa e, ao mesmo tempo, divina.

Infelizmente, sua música não foi utilizada para o bem. Ele começou a ser explorado por um homem que se dizia seu amigo, mas não foi bem assim. Evan queria sua família, mas se via cada vez mais longe das respostas, até que ele consegue entrar em uma escola de músicos, onde teve a oportunidade de aprimorar a sua técnica.

A cada dia, sua música empolgava cada vez mais seus professores, que o colocavam em uma grande apresentação musical, onde talvez ele tivesse a oportunidade de seus pais ouvirem sua música e o encontrarem. Durante esse tempo, sua mãe descobre que o Evan não havia morrido, e que seu pai o tinha mandado a um orfanato, e ela se vê em uma busca incansável pelo seu filho perdido.

Chegado o dia da apresentação, o explorador tenta impedir o garoto de se apresentar, o que não foi o suficiente para segurar a força de vontade do mesmo, que se livrou do explorador com a ajuda de um amigo. Ele se dirigiu rapidamente ao ‘Central Park’ onde seria sua apresentação.

Ao começar sua apresentação, sua música fluiu pelo parque, como um vento suave e doce, que é resultado de uma mistura de música e instrumentos inusitados que produziam sons harmônicos e de um efeito surpreendente. Através de sua música, sua meta foi alcançada. Seus pais ouviram sua música e ficaram atraídos pela melodia, e foram guiados pelo som até o palco, onde tiveram o maior encontro de suas vidas.

Esse filme é uma demonstração de que a música corre em nossas veias, não importa o estilo musical. Esse garoto tinha um dom, e fez o uso desse dom para encontrar a sua família, o que nos inspira a sentir a música, e não somente ouvi-la.

Por: Felipe Nunes

Feras Capixabas

Nosso estado tem suas belezas culturais, como a culinária, artesanato, e com certeza a música, que é muito conhecida. Temos um destaque que vem diretamente do norte do estado, a banda Casaca, que se tornou um ícone da música capixaba. O nome da banda veio por meio de um instrumento utilizado pelos capixabas do norte do estado (a casaca), que possui certas fendas no corpo, que utilizando um palito de bambu é possível obter certa sonoridade muito agradável e melódica. A banda surgiu no início do ano de 2000, com ex-integrantes do grupo Kalangocongo, o gênero musical utilizado por eles é bem distinto, é uma mistura de congo, rock e reggae.
            Os seus integrantes são: Renato Casanova, Marcinho (Marcio Xavier), Jura Fernandes, Piriquito, Flavinho, Vinicius Gaudio, Jean, Thiago Grillo, Augusto Galvêas. Suas músicas trazem à tona toda uma beleza única, a qual só pode ser encontrada no nosso estado. Essas feras capixabas têm como alguns de seus sucessos as seguintes músicas: Ilha, Barra, Marina, Perdão, Ondas do Barrão, Vidraça e Sereia.
É dos capixabas a canção que despertou o robô da NASA Spirit em Marte em 11 de Janeiro de 2004. Essa canção foi parar em Marte por causa de um engenheiro da NASA que é capixaba e fã da banda. Em 2010, a banda Casaca completou 10 anos de carreira, e lançou o álbum Tempo (EP) que já vendeu 10.000 cópias.
            Com seis meses incompletos lançaram o seu primeiro álbum, No tambor, na casaca, na guitarra, que bateu o recorde de 55 mil cópias vendidas, fato inédito para o mercado fonográfico capixaba. Mesmo sendo um álbum independente, conseguiu ficar nas listas dos mais vendidos nas lojas do estado. As canções de maior sucesso foram “Sereia” e “Ondas do Barrão” que fala da cultura regional. Essa banda é uma prova de que o Espírito Santo é um lugar onde a música também faz a diferença em nosso meio.

Várias bandas também vêm se destacando no nosso estado, apesar da variedade de estilos, elas têm feito muito sucesso entre os capixabas e com o restante do nosso país. E esses capixabas merecem todo o respeito no meio musical, e em qualquer outro meio. Ta aí uma dica de banda que vale a pena ouvir suas músicas, que mistura o amor com as belezas naturais, e estilos musicais distintos e que deram resultados satisfatórios aos integrantes da banda, que estão de parabéns, pois seu trabalho conseguiu alcançar todas as expectativas.